Arquivo da categoria ‘(In)utilitários’

Piada quase geek.

Publicado: 22/04/2009 em (In)utilitários

A definição inicial que qualquer usuário de informática deve aprender sobre o que é hardware e o que é software. É bastante simples:

Hardware: é o que você chuta.
Software: é o que você xinga.

Essa éa piada mais idiota do momento, mas o pior é que está corretisssima a definição.

Foi escrito na constituição de 1891, 3 anos após a abolição da escravatura, no artigo 72, parágrafo segundo, que todos são iguais perante a lei. Eu pergunto senhores, éramos iguais?  tínhamos as mesmas oportunidades e tratamento perante a lei?

Imagino um escravo alforriado a três anos, cobrando seus direitos aos que lhe havia explorado, ou ao estado por não ter feito nada durante todo o período de escravidão, não haveria igualdade em tal relação.

Ouvi de um advogado tributarista, a seguinte frase, “quando se trata os desiguais igualmente, se cria uma igualdade abstrata e uma desigualdade real, por isso devemos tratar os desiguais desigualmente na medida em que se desigualam”. Ele usou nessa frase do principio da eqüidade, que em meu pensar tornaria o texto constitucional aqui referido em algo  útil e real para a sociedade brasileira.

Costumo deixar implícito em meus dizeres, o que realmente sinto, talvez os representantes do povo ao aprovar o texto da constituição, referente a igualdade do povo do Brasil, tenha pensado, porém, não chegaram a colocar no papel, deixando a interpretação para os que a lessem. Caso tenham pensado dessa forma, foi uma pena não terem escrito, o que realmente almejavam, pois cerca de 120 anos depois da aprovação de tal texto, continuamos tratando os desiguais igualmente, mesmo quando se desigualam.

Thiago Santos de Amorim

Piada de computeiro.

Publicado: 09/03/2009 em (In)utilitários

Isso eu realmente preciso postar aqui, para quem conhece a wikipedia(maior enciclopédia existente), nela tem artigos sobre quase tudo que existe no mundo , um riquissima fonte de informação que qualquer um pode ajudar na manutenção da mesma.

Bom mas não é da wikipedia que gostaria de comentar, e sim da Descilopedia. na contramão da wikipedia, a idéia de tal serviço é fornecer desinformação a seus usuários, isso mesmo! desindormação com é claro aquela pitada de humor.

segue algumas pérolas da desciclopedia:

BRADESCO:

“Maior banco roubador do Brasil R$ 265,55 trilhões em roubos/ano. 16,8 milhões de clientes enfurecidos. 3.006 Agências: a maior Rede privada do Brasil e do inferno”

http://desciclo.pedia.ws/wiki/Bradesco

EMBRATEL:

“Embratel, também conhecida por Embromatel, é uma empresa participante do cartel da telefonia Brasileira que a exemplo da Claro, é controlada pelo mega-empresário mexicano Carlos Fatboy Slim,”

http://desciclo.pedia.ws/wiki/Embratel

TOCANTINS:

“Tocantins nada mais é do que o lixo que sobrou de Goiás (que já não é lá esses estado todo para ser esnobe assim). Também serviu durante muitos anos como chapéu de duende ou gorro de Papai Noel daquele estado. O fim deles foi ser incorporado a região Norte para aumentar o número de estados”

http://desciclo.pedia.ws/wiki/Tocantins

UBUNTU:

Criado por uma instituição não-governamental, o Ubuntu é uma distribuição Linux de tema africano, voltada para uso aborígene. O seu nome estranho vem do Tupi pronuncia-se Unh-boum-tuó, e significa urubu, o primeiro pajé que o pronunciou estava de boca cheia. O sistema foi testado em várias tribos por toda a Argentina antes de atingir todo o planeta, fazendo grande sucesso entre os usuários que nada sabem sobre Linux e querem usá-lo para aparecer. Assim, ficou famoso por ser o primeiro a aceitar conexão com a internet.

http://desciclo.pedia.ws/wiki/Ubuntu

Thiago Amorim

>(Luís Fernando Veríssimo)
>
> ” Eu tenho o sono muito leve, e numa noite dessas notei que havia alguém
>andando sorrateiramente no quintal de casa.
>
> Levantei em silêncio e fiquei acompanhando os leves ruídos que vinham lá
>de fora até ver uma silhueta passando pela janela do banheiro. Como minha
>casa era muito segura, com grades nas janelas e trancas internas nas
>portas, não fiquei muito preocupado mas era claro que eu não ia deixar um
>ladrão ali, espiando tranquilamente.
>
> Liguei baixinho para a polícia informei a situação e o meu endereço.
>
>Perguntaram-me se o ladrão estava armado ou se já estava no interior da
>casa. Esclareci que não e disseram-me que não havia nenhuma viatura por
>perto para ajudar, mas que iriam mandar alguém assim que fosse
>possível.
>
>
>
>Um minuto depois liguei de novo e disse com a voz calma:
> – Oi, eu liguei há pouco porque tinha alguém no meu quintal. Não precisa
>mais ter pressa. Eu já matei o ladrão com um tiro de escopeta calibre 12,
>que tenho guardada em casa para estas situações. O tiro fez um estrago
>danado no cara!
>
> Passados menos de três minutos, estavam na minha rua cinco carros da
>polícia, um helicóptero, uma unidade do resgate, uma equipe de TV e a turma
>dos direitos humanos, que não perderiam isso por nada neste mundo.
>
>Eles prenderam o ladrão em flagrante, que ficava olhando tudo com cara de
>assombrado. Talvez ele estivesse pensando que aquela era a casa do
>Comandante da Polícia.
>
>No meio do tumúlto, um tenente se aproximou de mim e disse:
>- Pensei que tivesse dito que tinha matado o ladrão.
>
>Eu respondi:
>- Pensei que tivesse dito que não havia ninguém disponível”.
>