Arquivo da categoria ‘Literatura’

Revista Espírito Livre - Ed. #026 - Maio 2011

Revista Espírito Livre - Ed. n #026 - Maio 2011

 

Crowdsourcing é uma nomenclatura recente para algo que todos conhecemos bem. A construção colaborativa através da rede já vem sendo feita a muito tempo. Vários projetos de código aberto foram produzidos e se tornaram o que são justamente por causa da construção coletiva de vários entes, vários nós, pontos interligados em uma grande teia. E o que antes era um passatempo nerd, se tornou o motor de muitos projetos.

Alguém aí já pensou em como seria as nossas vidas sem a construção coletiva, responsável por exemplo, pela criação, manutenção e crescimento da Wikipédia? E as mobilizações que hoje são feitas através das redes sociais com os mais diversos propósitos? Projetos são criados, mantidos, remunerados e atingem maturidade através de vários pares de mãos, dezenas de dedos, milhares de IPs, espalhados mundo a fora. Compartilhar e constribuir com o outro são valores que aprendemos desde criança. “Reparta o seu lanche com o seu coleguinha”, ou “divida o seu biscoito com seu amigo”; você certamente já ouviu estas frases proferidas por entes queridos, pessoas que se importavam com você. Uma pena que tais valores, com o passar do tempo foram sendo esquecidos. Em uma sociedade como a nossa, o inteligente não é quem compartilha, mas sim aquele que esconde. Convido-o a reflitir os novos valores da sociedade…

Onde erramos?! Erramos? Ou tudo não passa de uma evolução (ou regressão)? Devaneios que esta edição apresenta em diversos artigos, ora técnicos, hora reflexivos e que nos leva a pensar, tentar entender o que hoje vivemos. E para nos ajudar a entender um pouco mais sobre este tema conversamos com Carl Esposti, criador do site Crowsdsourcing.org. Esposti clarifica o termo, com exemplos reais e palpáveis. Outros colaboradores como Alexandre Oliva, João Carlos Caribé, Ana Brambilla, entre outros, igualmente tratam o tema, com rigor e foco. Além do tema em questão, contribuições diversas e que merecem destaque! Várias matérias sobre programação, internet, eventos. Redes, segurança e vários outros temas também estão disponíveis.

A partir desta edição a Revista Espírito Livre também incluirá uma seção exclusiva sobre LibreOffice, a suíte de escritório líder e que certamente você utiliza. Se ainda não a instalou, não perca tempo. Existem versões para GNU/Linux e outros sistemas operacionais disponíveis no mercado. Diversas distribuições GNU/Linux, como Ubuntu, Fedora, OpenSuSE, Linux Mint, Debian e tantas outras já trazem o LibreOffice ou em suas mídias de instalação ou repositórios, bem como várias empresas que também sinalizaram positivamente quanto a suas migrações para o LibreOffice, logo, nada mais natural acompanharmos tal ascensão.

O sorteio da caneca personalizada da série Warning Zone ainda está valendo. Então se você gosta de desenhar, não perca tempo e nos envie sua proposta. Quem sabe você ganha?!

A partir da última semana de Abril, tivemos mais uma vitória: agora a Revista Espírito Livre conta com um servidor dedicado, cedido pelos parceiros da HostGator. O aumento no número de visitas e downloads acabou nos levando a este caminho, o que me alegra muito. E além de estar de casa nova, o site também conta com mais um jornalista a frente das notícias. José Moutinho, está empenhado em turbinar o site da revista com notícias recentes e relevantes. E se você quiser se juntar ao time e contribuir, não perca tempo!

Partimos rumo ao terceiro ano, com a ajuda de muitos colaboradores dedicados, parceiros que nos ajudam de alguma forma e dos leitores que sempre estão nos acompanhando. Um abraço a todos que ajudam a construir esta incrível publicação.

Mais uma edição da revista espírito livre, degustem o PDF. segue integra do editorial
Revista Espírito Livre - Ed. #021 - Dezembro 2010 

Revista Espírito Livre - Ed. n #021 - Dezembro 2010
Revista Espírito Livre - Ed. n #021 - Dezembro 2010

Natal e Ano Novo. Duas importantes datas em um mês que vem recheado de novidades e esperanças quanto ao novo ano que se aproxima.

Esta edição da Revista Espírito Livre leva a você leitor, um tema que tira o sono de muita gente: Segurança. Fizemos questão de observar o tema numa ótica bastante abrangente, pois quando se fala em segurança, não se fala apenas em redes ou arquivos, mas também informações, mecanismos, métricas e tantos outros subtemas que o conceito de segurança envolve. Conversamos com diversos especialistas no assunto para elucidar algumas questões que envolvem o conceito e para entender um pouco mais sobre este mundo.

Como entrevista internacional, conversamos com Andrew Lewman, criador do Projeto TOR, que tem como objetivo proteger usuários contra a análise de tráfego, possibilitando assim uma solução que permite navegação anônima na internet. Como entrevistas nacionais, conversamos com Aderbal Botelho, profissional da área de segurança e perícia forense que nos ajuda a entender um pouco mais diversas questões cotidianas de um perito forense. Também conversamos com o profissional Rafael S. Ferreira, que também trabalha com análise forense e ferramentas que facilitam análise de dados e recuperação de informação. Albino Biasutti e Guilherme Chaves falam sobre segurança para leigos, apresentando de forma clara como estes podem se munir de métricas a favor da segurança de seus dados e computadores. Edgard Costa fala sobre segurança de documentos, um tema que merece atenção, ainda mais em tempos de certificações digitais e outros mecanismos que visam assegurar autenticidade em documentos.

Cesar Taurion traça uma linha do tempo do Open Source a partir de 2004 e revela algumas informações bastante pertinentes. Álvaro Justen apresenta o Arduino, projeto que engloba software e hardware e tem como objetivo fornecer uma plataforma fácil para prototipação de projetos interativos, utilizando um microcontrolador. Carlos Donizete apresenta na seção de Games, o Frogatto, um jogo no estilo plataforma, bem divertido e disponível em diversas arquiteturas.

Ricardo Ogliari prossegue com sua série de artigos sobre o Android e desta vez fala sobre a criação de aplicativos com o uso de banco de dados nesta plataforma. Aracele Torres fala sobre o WikiLeaks, tema em voga na mídia especializada e popular. Estes e tantos outros colaboradores fizeram, cada um em sua especialidade, o melhor de si para disponibilizarmos uma excelente edição para fechar o ano.

Como vocês poderão ver, a edição está recheada de ótimas contribuições. Gostaria aqui de deixar o meu agradecimento não somente aos parceiros que nos ajudaram nesta edição, mas em todas as edições da Revista Espírito Livre. Agradecimento extendido a nossa equipe de revisores e tradutores que também ajudam na medida do possível neste processo nada fácil. Aos colunistas que nos acompanham a cada edição, bem como tantos outros amigos que fazem da Revista Espírito Livre um projeto magnífico que já caminha para o seu segundo aniversário.

Para os leitores da Revista Espírito Livre, me resta desejar Boas Festas, e que todos tenham um ano de 2011 assim como o pintaram em seus sonhos: repleto de magia, mas envolto a muita realidade.
Um abraço a todos!

Lançada a edição número 20 da revista espírito livre. Um dos melhores periódicos de tecnologia da informação da atualidade, e o mais interessante é sobre liberdade. Segue integra do editorial e boa leitura.

 

Revista Espírito Livre - Ed. #020 - Novembro 2010 

Revista Espírito Livre - Ed. n #020 - Novembro 2010
Revista Espírito Livre - Ed. n #020 - Novembro 2010

Pirataria. Um tema polêmico que divide opiniões, levanta questões éticas/morais, sem falar que eleva ânimos de muitos enquanto causa tumulto e prisões em certas situações. Isto tudo talvez porque os elementos necessários para a fundamentação do conceito da palavra “pirata” tenham sido distorcidos ao longo dos anos e atribuições indevidas foram feitas. Claro que, dadas as devidas proporções, e também a certos interesses, muita coisa já foi falada por entendidos (e desentendidos). Isso ajudou a disseminar uma imagem que muito provavelmente não é a que encontramos nestes “novos piratas”. A Revista Espírito Livre tenta apresentar nessa edição, diversas visões, apresentadas por vários colaboradores que aproveitam este veículo de informação para fazer justamente o que ele se propõe a fazer: informar!

Muitos são levados a acreditar em significados distorcidos, julgamentos prematuros e muitas vezes inconscistentes. Fique atento.

A edição 20 também traz a seus leitores uma matéria extensa e bastante completa sobre Zabbix e seus agentes, sob a condução de Aécio Pires e André Déo. William Stauffer Telles fala sobre segurança, mas sob uma ótica não muito discutida pelos entendidos do assunto. Cezar Taurion levanta um tema bastante interessante e que inclusive foi tema de palestra na Latinoware 2010, ocorrida neste mês em Foz do Iguaçu: a Internet das Coisas, um conceito que visa mudar completamente a forma como temos acesso a certas informações.

Entrevistamos o jornalista e professor da UFV, Carlos d’Andréa, que fala sobre a influência do conceito wiki no jornalismo como conhecemos, sua vantagens e itens a serem analisados. Carlisson Galdino, além de sua coluna mensal, onde narra a Warning Zone, esta edição ainda publica dois de seus cordéis, ambos sobre pirataria. Vale a pena conferir!

Uma nova colaboração é feita por Aline Abreu, que levanta a questão do respeito dentro da comunidade, um fato nem sempre levado em consideração por certos usuários. Waney Vasconcelos fala das dificuldades de comunidades a que está inserido e como o Ubuntu – e o seu significado etimológico – pode representar uma mudança de realidade. Hailton David Lemos encontra similaridades entre o genoma humano e o conceito de software livre, relação que merece ser conhecida.

Além dos colaboradores citados, vários colunistas e diversas contribuições não somente através de artigos, mas em revisões e buscando novos materiais, são realizados por vários bravos e respeitados parceiros. A todos estes, o meu obrigado.

Nossos sorteios continuam e se você ainda não participou, esta é a chance. Quem sabe o próximo não seja você?! Além das promoções, se você tem algo a nos dizer – sugestões, relatos, casos de sucesso ou simplesmente um obrigado – não deixe de entrar em contato. A Revista Espírito Livre busca os mais diversos tipos de colaborações, onde o agradecimento, a simples leitura, a divulgação entre os amigos e muitas atitudes fáceis de serem feitas são percebidas como contribuição! Então, vamos fazer da Revista Espírito Livre um veículo de qualidade com cada vez mais participações dos leitores com o único propósito de devolver a estes, material de qualidade e de excelência. Um abraço a todos!

Revista Espírito Livre - Ed. #018 - Setembro 2010

Revista Espírito Livre - Ed. n #018 - Setembro 2010
Revista Espírito Livre - Ed. n #018 - Setembro 2010

Lançada a edição n.18 da revista espírito livre, segue editorial na integra.

Caro leitor, trazemos mais uma nova edição que, para não ser diferente, foi gerada depois de muito trabalho de uma equipe batalhadora, e que merece todo o respeito. Procuramos disponibilizá-la no menor tempo possível, entretanto a falta de certos recursos inviabilizaram o processo. Mesmo assim, estamos aqui como a edição do mês de setembro. Tivemos a oportunidade de estar frente a frente com Linus    Torvalds, criador do Linux, o popular kernel que habita em diversos de nossos computadores. Ele esbanjou simpatia ao nos receber em uma longa entrevista durante a LinuxCon, em São Paulo. Não somente a entrevista, mas juntamente com o fato de que ainda não havíamos tido uma capa sobre o tão falado pinguim, além de sua popularidade já comprovada, foram os responsáveis pela escolha deste tema. Apesar do bate-papo ter sido longo, preferimos publicá-lo na íntegra, sem cortes, onde Torlvalds, assim como em várias de suas declarações, divide opiniões por onde passa. O que se constata é que, kernel após kernel, o Linux se fundamenta como uma solução viável entre os mais diversos usuários. Isto graças, não somente a Torvalds, mas a uma comunidade atuante e sempre em evolução. Quanto a entrevista, agradecimento especial a Kemel Zaidan, que esteve no evento representando a Revista Espírito Livre.

Além da entrevista, contamos ainda com a colaboração de diversos outros parceiros, que fundamentaram bem o tema de capa. Ricardo Ogliari faz uma análise do pinguim nos dispositivos móveis, mais especificamente nos celulares, enquanto Rodrigo Carvalho foca o seu uso no Android, o sistema operacional baseado em Linux, que vem se popularizando rapidamente entre as empresas que produzem aparelhos de celular e seus respectivos usuários, que por diversas vezes, se apresentam como fãs da plataforma. Jomar Silva faz uma pergunta interessante sobre os usuários linux: “Quem não usa Linux?”, afinal muitos usam sem saber! Alexandre Oliva avalia pontos polêmicos que envolvem o este famoso kernel e levanta várias questões que merecem ser analisadas.

Em paralelo a isso tudo, os outros colaboradores também enriqueceram a edição com suas matérias: Marco Passos destaca a dificuldade de coordenar projetos colaborativos enquanto Jamerson Tiossi afirma que o usuário doméstico é a fronteira final quanto a adoção do software livre no desktop. André Déo e Aécio Pires descrevem como gerenciar redes com o Zabbix e prometem continuar com outros artigos a respeito. Alexandre A. Borba levanta questões de reflexão sobre a recente criação da suite LibreOffice.

Além destes, outros também contribuiram e o meu sentimento é de muita gratidão com todos, entre estes os nossos parceiros das promoções, sorteios e brindes.

Estamos pipocando de promoções e desta vez batemos o recorde entre todas as edições. São promoções para todos os gostos. Cursos, maratonas, eventos, livros, kits e muito mais. Convidamos os leitores a sempre visitarem o site oficial da revista, pois algumas promoções acabam sendo feitas somente através do site, de nossas redes sociais, parceiros, etc. Vale ressaltar ainda que, se você já participou de uma promoção, pode se inscrever nas demais promoções, sem problema. Só não há necessidade de se inscrever numa mesma promoção várias vezes, já que os registros duplicados são excluídos. É torcer e ficar atentos às novidades!

Um forte abraço a todos nossos leitores, que mês após mês, nos revigora com mensagens de conforto e garra, muito importantes para que nos fortalecer e mantermos nosso compromisso de ler informação de qualidade e credibilidade, a custo zero ao leitor. Reforço a chamada por diagramadores e aproveito ainda para me desculpar pelos artigos que ainda não foram publicados. Já estão na lista de tarefas. Até a próxima!

Mais uma edição de um dos meus periódicos favoritos, a revista espirito livre. Segue o editorial disponível no site, bem como o atalho para baixar a revista.

Revista Espírito Livre - Ed. #017 - Agosto 2010

Revista Espírito Livre - Ed. n #017 - Agosto 2010
Revista Espírito Livre - Ed. n #017 - Agosto 2010

Esta edição apresenta a seus leitores um tema que já deixou de ser novidade, mas que conforme a evolução tecnológica se apresenta diante de nossos olhos, se torna uma pauta cada vez mais preocupante. Ao falar de TI Verde, diversos sub-temas nos veem a mente: reciclagem, economia de energia, uso sustentável de nossos bens, melhor utilização de nossos computadores, cuidados com o meio ambiente como um todo e não somente no que diz respeito a nossa “lixeira”. Será que estamos fazendo a nossa parte? Será que existe isso de “nossa parte”? Adianta fazer algo ou nos resta apenas assistir o fim?! As questões são muitas e nesta edição tentamos trazer, não respostas, mas reflexões sérias sobre estes e outros temas relacionados. Os conceitos de TI Verde já amadureceram bastante, a ponto de se criarem legislações específicas em certas ocasiões. Usuários e empresas já compreenderam que diante desta nova realidade, não basta sentar e assistir, é preciso que algo seja feito, já que muitos concordam que estamos em um caminho sem volta.

Nossa entrevista internacional da edição é com Kirk W. Cameron, criador do Granola, um software que gerencia de forma inteligente a energia utilizada por computadores, disponível para diversas plataformas, além de seu código ser aberto e gratuito. Bianca Oliveira faz reflexões sobre TI Verde, meio ambiente e Mercado. João Carlos Caribé fala sobre a matriz de forças da sustentabilidade e questões polêmicas envolvendo o tema. Ricardo Ogliari fala sobre TI Verde, sensores e computação úbiqua. Cezar Taurion, Yuri Almeida, Alexandre Oliva e outros colunistas fixos também retratam muito bem o tema  recorrente em nossos telejornais.

Além do tema principal, tivemos diversas participações que merecem ser citadas. Marlon Ferrari fala sobre Python no cenário empresarial, enquanto Otávio Santana fala sobre GWT, kit de ferramentas de desenvolvimento para aplicações web feito pela Google. Flávia Suares e Joelias Júnior falam sobre duas ferramentas interessantes para os usuários do Twitter: Lambitter e Twitradio. Wilkens Lenon fala sobre os mais diversos sabores do Software Livre, citando várias distribuições GNU/Linux e suas diferenças. Bruno Cezar Rocha fala do Web2Py, um framework para desenvolvimento web em Python, enquanto Igor Morgado trata de Gerenciamento de unidades no Linux. Além destes, outros também contribuiram e o meu sentimento é de muita gratidão com todos.

A Revista Espírito Livre enviou ainda um correspondente que trará notícias sobre a LinuxCon São Paulo, que ocorre nos próximos dias. Em breve teremos notícias de lá! Também estamos com palestra agendada na grade do FASOL 2.0, em Santarém/PA. Além disso, a Revista Espírito Livre está pipocando de promoções. Solicitamos que estejam atentos pois entramos em contato com os ganhadores apenas via email – o mesmo informado no cadastro de cada promoção. Também é interessante lembrar que se você já se inscreveu em uma promoção, pode se inscrever novamente em outras! A partir daí é torcer para ser sorteado.

Gostaria de agradecer a colaboração de toda a equipe e já adiantar o meu pedido de desculpas por não ter publicado todas as matérias que estão em nossa fila de tarefas. Estamos em busca de novos colaboradores, inclusive diagramadores que utilizem Scribus, para tentarmos agilizar diversos processos dentro da revista. Se você utiliza Scribus e quer contribuir, entre em contato!

Ah! Talvez seja hora de desligar o computador e plantar uma árvore…

Revista  Espírito Livre - Ed. #016 - Julho 2010

Revista Espírito Livre - Ed. n #016 - Julho 2010
Revista Espírito Livre - Ed. n #016 - Julho 2010

“Sorria, você está sendo filmado…” Esta frase é sempre lida em diversos locais que visitamos, como bancos, supermercados, shopping center, etc. E na internet? Como é atualmente ou como deveria ser? É uma polêmica que gira em torno de diversos aspectos jurídicos, constitucionais, passando pela opinião pública, pedofilia e tantos outros assuntos que se envolvem nos noticiários. Fica aí a pergunta: Ao navegar pela Internet, estou realmente seguro? Estou seguro de quem? Dos bandidos ou dos órgãos reguladores? Questionamentos como estes são por diversas vezes citados nas matérias desta edição, que foi concebida em tempo recorde, afinal, se passaram pouco mais de 15 dias do lançamento da edição de número 15.

Tivemos a oportunidade de trazer 3 conhecedores do assunto principal abordado nesta edição. João Caribé é conhecido por ter dado o pontapé inicial no Mega Não, e como os leitores perceberão, Caribé é bastante enfático no assunto. Trouxemos ainda duas professoras da área jurídica para debaterem assuntos que também nos dizem respeito: Ana Amelia Menna Barreto fala dos novos paradigmas da propaganda eleitoral na Internet, enquanto Sabrina Felizzola Souza aborda os dilemas jurídicos da privacidade na Internet. Além dos entrevistados, vários outros colaboradores da comunidade em geral foram convidados a participar, cada um com sua experiência e especialidade, o que resultou em uma edição única. Thalles Waichert, que é jornalista da editoria de Mídias Sociais do Terra Networks Brasil fala do controle, vigilantismo e resistências nas redes sociais. Alexandre Borba, que já é “da casa”, também trilha por esse caminho. O Deputado Paulo Teixeira, que também é ativista da liberdade na rede e defensor do software livre, defende uma rede sem vigilância. Aracele Torres fala da construção do cidadão normatizado, a partir da vigilância na rede, enquanto Paulo Rená fala de ofensas pela Internet: quatro aspectos jurídicos importantes. Percebe-se que a edição está com um alto teor de debate e discussão, algo natural quando é tratado um assunto de interesse público e bastante comentado atualmente.

Vários outros colaboradores já conhecidos dos leitores por estarem conosco a muitas edições também deram suas opiniões e apontaram na direção do tema em questão, o leitor poderá perceber. Mas nem só do tema principal a edição foi feita. Benjamin Goes, responsável pelo Ubuntu Control Center, nos apresenta a ferramenta, enquanto Otávio Gonçalves fala sobre Java. O artista Ricardo Graça começa uma série de artigos sobre produção visual utilizando puro software livre e Cleiton Ferreira aborda redes, mais especificamente o rlogin. E muito mais…

Os leitores que gostam de promoções, fiquem atentos: Novas promoções foram incluídas e outras estão a caminho. Aliás, gostaria de compartilhar com vocês o meu desejo de fazer, na Latinoware 2010, o nosso primeiro encontro de leitores e colaboradores da Revista Espírito Livre, o que seria mais uma ótima oportunidade do leitor estar ali, cara a cara com quem escreve e produz a publicação. Vamos conversando sobre o assunto… Quem sabe vira realidade, que tal?! Mandem suas sugestões!

Agradeço a todos pelo empenho em tentar fazer uma edição de qualidade e que fosse referência no assunto. Nos vemos na edição 17, e cuidado, você pode estar sendo filmado…

Vivemos na “era probabilística” da informação, do conhecimento, e arrisco afirmar  que também do saber. Para assegurar as posições que serão apresentadas, uso um pouco do que as ciências ‘exatas’ nos vem afirmando, essa natureza probabilística das coisas. Na física quântica, mais especificamente na mecânica quântica, as menores partículas que compõem as coisas, possuem uma movimentação até então imprevisíveis, o que nos leva  a uma posição de não saber, no que tange a composição da matéria.

“Na mecânica quântica, uma partícula não possui uma posição ou velocidade bem definida, mas seu estado pode ser representado pelo que se denomina função de onda. Uma função de onda é um número em cada ponto do espaço, que indica a probabilidade de a partícula ser encontrada naquela posição.” (Stephen Hawking – O Universo numa casca de noz – São Paulo, 2001 – pg. 106)

“Há quem afirme que não se pode localizar exatamente um elétron, porque ele não se encontra em um lugar determinado.” (CARUSO & OGURI, 2006, P. 471).

Se todos os objetos ou corpos são formados pela matéria, que por sua vez é formada por átomos que são constituídos de elétrons, que estão em constante movimentação, movimentos esse imprevisíveis, podemos afirmas que os corpos/objetos estão em movimentos além dos que são conhecidos como os que obedecem a força da gravidade e demais leis da física clássica. Os corpos estão em movimento probabilístico, o que os coloca também em posições probabilísticas, sendo assim não se sabe a exata localização de uma corpo qualquer usando o que temos e conhecemos de instrumentos de localização.

Então temos a incerteza como um principio que rege as menores partículas que constituem a matéria, e conseqüentemente esta incerteza esta na regencia de nossos corpos.

“O limite imposto pelo principio da incerteza não depende da maneira pela qual você tenta medir a posição ou velocidade da partícula, nem do tipo de partícula. O principio da incerteza de Heisenberg é uma propriedade fundamental, inescapável, do mundo, e teve profundas implicações na maneira como vemos o mundo”.  (Stephen Hawking – Uma nova historia do tempo – pg. 95, 96)

“Existe um limite para os nossos poderes de observação e para o mínimo de perturbação que acompanha o nosso ato de observação, um limite que inerente à natureza das coisas e que nunca pode ser vencido pelo aperfeiçoamento da técnica e da habilidade do observador.”
(CARUSO & OGURI, 2006, P.468)

Se no campo físico temos todas essas incertezas sendo discutidas, com o advento da internet , um conjunto de incertezas têm afetado de forma significativa o conhecer humano e talvez o seu saber.

As informações não são fixas, nos informam algo que pode ser desinformado logo em seguida como a wikepedia.com, yahoo answer etc. e cada vez mais a quantidade de informações vem aumentando, o que nos exige uma melhor preparação para filtrar tais informações e trasformá-las em conhecimento. Conhecimento que é moldado por prováveis verdades encontradas nas informações que usamos para contituí-los.

Talvez essa probabilidade ‘generalizada’, nos  leve para um campo do saber com verdades multáveis, e que nos ajude a ter um devir mais sábio que o que estamos tendo na atualidade ou como diria Nietzsche “cheguemos ao super-homem” (Assim falava Zaratustra – Nietzsche).

Por outro lado,  a relatividade do saber é algo com que o homem/mulher tem que aprender a lidar, porém os avanços da ciência/tecnologia não estão sendo acompanhados com a velocidade que talvez fosse a ideal. Muitos estão excluídos destas revoluções científico-tecnológicas, e esta exclusão pode ser, na era probabilística, o provável não questionado.

http://www.cpflcultura.com.br/video/integra-que-pode-corpo-viviane-mose-e-dani-lima

http://www.guiaparanaense.com.br/artigos/a_natureza_probabilstica_do_mundo_quntico_e_sua_incerteza_imanente.html

Segue editorial na integra. Para ler a revista clique na imagem abaixo.

Revista Espírito Livre – Ed. #013 – Abril 2010

Revista Espírito Livre - Ed. n #013 - Abril 2010

E cá estamos na edição de número 13, a edição de aniversário da Revista Espírito Livre. 12 meses se passaram em meio a alegrias e tristezas, dificuldades e tantos outros acidentes de percurso. Mas resistimos e mais fortes do que nunca nos firmamos junto a nossos leitores, que a cada mês esperam por uma nova edição.

Nestes 12 meses tivemos muitas presenças ilustres em nossas páginas, nacionais e internacionais, algumas mais populares, outras nem tanto, mas todas de alguma forma, contribuindo para a democratização da informação através de matérias, relatos, tutoriais, entrevistas e o que mais couber em nossas páginas.

Nesta edição trazemos em nossa capa, um grande e imponente GNU, mascote de um projeto que ao longo dos anos vem se fortalecendo através de novos colaboradores e nossos sub-projetos. O Projeto GNU e a Free Software Foundation fazem parte do cotidiano de muitas comunidades e seus representantes, em especial a figura de Richard Stallman, nosso entrevistado juntamente com Brian Gough, que fazem do projeto GNU e a FSF, parte de nossas vidas. Stallman é amado por muitos e odiado por outros, mas sempre está alí, presente e ativo em sua posição de evangelizador e um ícone da comunidade de software livre mundial. Stallman e Brian Gough, também do Projeto GNU, concederam uma entrevista bem interessante a nossa equipe, brilhantemente representada pelo colunista Alexandre Oliva, ativista conhecido por aqui em nosso Brasil, e no restante da América Latina também. Os entrevistados esclarecem diversas dúvidas e questões que sempre povoam o imaginário de muitos membros das comunidades de software livre.

Krix Apolinário, juntamente com Alexandre Oliva, Cesar Taurion, Cárlisson Galdino e Roberto Salomon trazem cada um em sua coluna, do seu jeito, excelentes contribuições. Não somente os colunistas, mas também todos os outros colaboradores, cada um a seu modo, contribuiu com uma parcela para que tivéssemos uma edição dígna de edição de aniversário. A capa, é arte do Cadunico, nosso artista. Walter Capanema e Luis Henrique Silveira apresentam dois artigos apresentando aspectos jurídicos de duas situações bastante polêmicas. Capanema trata da pirataria enquanto Luis Henrique fala da nova licitação do Programa Professor Digital, amplamente coberto pelas mídias e assunto do momento. Além da entrevista ligada ao tema de capa, conversamos Juliana Kryszczun conversou com Luciano Ramalho, desenvolvedor em Python. Jomar Silva, sem papas na língua, declara a morte das suítes de escritório, mas com um enfoque bastante consciente e fundamentado. Patrick Amorim fala sobre a Tecnologia PLC, que provê banda larga através da rede elétrica. E que tal controlar a proteção de tela do seu computador através de bluetooth? Marcelo Moreira Mello mostra o caminho das pedras. Filipo Tardim também apresenta como fazer uma remasterização do Ubuntu, do zero. Enquanto Wagner Emmanoel faz um review sobre a nova edição do Ubuntu que deve ser liberada essa semana. Igor Morgado também traz um artigo bem interessante sobre gerenciamento de redes enquanto Francilvio Alff fala sobre gestão do conhecimento e ferramentas wiki. Eliane Domingos e Igor Morgado, ambos da Gnutech, meus agradecimentos, que também se extendem a nossos parceiros que estão sempre nos ajudando.

Carlos Eduardo (o nosso artista) também mostra em um tutorial bem interessante como criar um fantasma utilizando o GIMP. Assombroso! E outro Carlos Eduardo, que não é artista mas um escritor de mão cheia, juntamente com a própria Revista Espírito Livre apresenta seu livro intitulado Ubuntu – Guia do Iniciante, que será lançado nesta semana, juntamente com o lançamento oficial do Ubuntu 10.04. Todos os outros colegas que contribuiram com materiais mas que não listados aqui não foram esquecidos, aliás serão lembrados sempre por mim e por nossos leitores que a cada mês fazem o download das edições com sede de conhecimento. Meus sinceros agradecimentos a todos vocês. Vocês ajudaram a construir uma edição recorde em número de páginas e em conhecimento.

E agora é a hora de soprar a velinha! Eu já fiz meu pedido. Você já fez o seu?!

Não é de hoje que, policiais maltratam os cidadãos de todo o Brasil, principalmente os de baixa renda, moradores de favelas e de pequenas cidades no interior, e demais estereotipados.

Parecem usar a máxima, culpado até que se provem o contrário. Para ajudar o cidadãos de bem que deveriam estar sendo protegidos e não coagidos, moradores de Santa Marta, Botafogo / RJ, criaram uma cartilha sobre como deve, e como não deve ser uma abordagem policial.

A cartilha além ter sido redigida com uma linguagem bem popular, tem alguns pontos muito importantes, como “se te chamar de PRETO SAFADO, estará cometendo crime de injúria racial”, a cartilha orienta também que ninguém pode ser tratado como suspeito(a) por causa da cor da sua pele ou da sua origem.

É apontado ainda, como uma pessoa deve se comportar quando chegar a delegacia, e os seus direitos de ficar calado e de ter uma testemunha, além de contar sua versão da história, caso algumas informação seja passada de forma “equivocada”. E o que acredito ser mais importante é que na cartilha mostra também como você pode fazer valer o seu direito.

Eu acredito que todos os brasileiros deveriam saber de todos os seus direitos e lutar para não ser tratado como marginal, por causa de estereótipos criados pela sociedade. Dar segurança a população, abordando, coagindo e prendendo marginais, é esse o papel da policia, não abusando da autoridade que tem para ridicularizar as pessoas e/ou impor medo a sociedade.

Para ler a cartilha clique na imagem acima ou no atalho abaixo.

Clique aqui para baixar a cartilha ABORDAGEM POLICIAL

Depois de um vasto caminhar por esta terra, aprendemos que muito do que aprendemos, devemos a outras pessoas. No texto abaixo de William Shakespeare, temos muita coisa que sabemos, mas por motivos talvez alheios a nossa vontade, deixamos de lado, e sofremos com as consequências as vezes desagradáveis. Usar o outro para ajudar-nos, é uma dádiva, afinal estamos quase sempre querendo ajudar alguém.

Este texto nos faz lembrar de amizades intensas, e que mesmo distantes não se acabam, o impressionante é que muitas vezes parecem crescer ainda mais. Acho que a vida é muito curta para deixarmos as amizades de lado. Acho que o tempo não espera que nos organizemos, para podermos valorizar as amizades, e a vida.

“Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto… plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!”

William Shakespeare