Posts com Tag ‘Filosofia’

Quanto mais gente resistir,
mais gente será Livre, e
mais gente será livre para ser Livre.

Para teu próprio bem e
em solidariedade a todos,
escolhe a liberdade.

Sê Livre!

FSF (Fundação Software Livre América Latina)
http://www.fsfla.org/svnwiki/selibre/

O texto acima me faz refletir sobre a comodidade e a prisão da convicção que a maioria das pessoas se encontram. Comodidade pois o medo da mudança as mantêm estagnadas, e na maioria das vezes convicções muitas vezes não fundamentadas ajudam a mantê-las   em seu estado de inércia.

Porém, muitos entendem que tudo nos afeta e tudo pode ser alterado com os nossos atos. Os abolicionistas, muitos brancos e em alguns casos, boa condição financeira, poderiam seguir seus antepassados e até mesmo a maioria absoluta dos seus contemporâneos, mas preferiram lutar pela liberdade.

Esta luta por liberdade, é importante que esteja sempre presente na mente de todos os indivíduos e que as pessoas percebam que a coletividade, mesmo que pequena pode fazer grandes transformações e nos manter livres no futuro. É importante frisar que quando digo coletividade não estou defendendo grupos isolados com convicções contrárias a liberdade de alguma forma.

Muitos devem ter percebido que a frase utilizada no início deste texto foi retirada do site da Fundação de Software Livre América Latina, que trabalham para assegurar liberdades na utilização dos softwares. Agora o que tem a ver o texto introdutório com o que escrevi até aqui? talvez você esteja se perguntando isso, então explico.

O uso do software proprietário nos tornou reféns dos programas de computador no sentido de que tal licença pode dizer o que você pode ou não fazer com um software que você pagou por ele. é certo que a maioria das pessoas não querem e nem irão desenvolver seu próprios devices drivers, ou alterar os programas que adquirem de alguma forma, mas ,  vetar esta possibilidade é algo que nem se quer deveria ser considerado, e esta é uma liberdade que nos foi tirada porém como a maioria das pessoas não sabem o que é um programa de computador não se acham prejudicadas.

Está bem até aqui, mas, e se alguém resolver fazer um programa personalizado para seu microondas com atualizações a cada 2 meses por um valor que você não gostaria de pagar? isso soa estranho? dê uma olhada aqui. agora e se você pensar o seguinte, seu neto ou bisneto sabe programar e pode arrumar para você seu microondas sua geladeira ou seu carro, porém ele não tem como pois você comprou o objeto, mas o programa que veio nele não é seu, então, ou você compra outro programa ou manda a empresa modificar.

Podem até achar que eu estou exagerado , mas é esta a verdade, ou lutamos para manter as liberdades mínimas hoje, ou no futuro que tivermos software em todo lugar na será realmente nosso.

Para finalizar, reapresento o poema de Bertold Brecht, que acredito ter muito em comum com o que eu estou pensando ao escrever este texto. Não deixem nossa liberdade ser retiradas por causa de comodismos.

Bertold Brecht

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro
Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operárioDepois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável 

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo

O livro “Como a mente funciona”  de Steven Pinker,  no qual o autor afirma que a mente humana foi moldada por aspectos genéticos, culturais e etc. o que a elevou a um sistema de processamento e computação com aspectos que os atuais equipamentos de computação chegam a reproduzir.

Pinker chega a afirma que : “ a mente é um sistema de órgãos de computação, projetados pelas seleção natural para resolver os tipos de problemas que nossos ancestrais enfrentavam em sua vida de coletores de alimentos, em especial entender e superar em estratégias os objetos, animais, plantas e outras pessoas. (…) A mente é o que o cérebro faz; especificamente, o cérebro processa informações, e pensar é um tipo de computação.”

(Pinker, 2000, p. 32)
Tendo em vista alguns aspectos apontados por Steven, e para confrontar minha argumentação de que somos melhores que computadores/máquinas, e que esses últimos jamais serão capazes de pensar/agir como um ser humano, eu posto o texto de Terry Bisson, “Eles são feitos de carne.” para que as mentes com uma boa capacidade de imaginação ou como diria Pinker com  um grande poder de processamento computacional, possam se divertir.

Original (inglês): Terry Bisson

– Eles são feitos de carne.

– Carne?

– Carne. Eles são feitos de carne.

– Carne?

– Não resta dúvida. Pegamos vários de diferentes partes do planeta, levamos a bordo de nossas naves de reconhecimento, e sondamos através deles. Eles são totalmente feitos de carne.

– Isso é impossível. E os sinais de rádio? As mensagens às estrelas?

– Eles usam ondas de rádio para falar, mas os sinais não vêm deles; vêm de máquinas.

– Mas então, quem fez as máquinas? É esses que queremos contatar.

– Eles fizeram as máquinas. É o que estou tentando dizer. Carne fez as máquinas!

– Isso é ridículo. Como carne pode fazer uma máquina? Você está pedindo que eu acredite em carne inteligente.

– Não estou pedindo nada, estou afirmando. Essas criaturas são a única raça inteligente naquele setor e eles são feitos de carne!

– Talvez eles sejam como os orfolei. Sabe, uma inteligência baseada em carbono que passa por um estágio de carne.

– Não; eles nascem carne e morrem carne. Nós os estudamos pelo tempo de vários de seus tempos de vida, que não duram muito. Você tem idéia do tempo de vida de carne?

– Poupe-me… OK, talvez eles sejam apenas parte carne. Sabe, como os weddilei. Uma cabeça de carne com um cérebro de plasma eletrônico.

– Não. Pensamos nisso, já que eles têm cabeça de carne, como os weddilei. Mas eu já disse, nós os sondamos. Eles são inteiramente feitos de carne!

– Sem cérebro?

– Há um cérebro, sim. Só que o cérebro é feito de carne! É isso que estou tentando dizer.

– Mas então… com o que eles pensam?

– Você não está entendendo, não é? Você se recusa a lidar com o que estou dizendo. É o cérebro que pensa. A carne!

– Carne pensante! Você está me pedindo para acreditar em carne que pensa!

– Sim, carne que pensa! Carne consciente! Carne que ama, que sonha… a carne faz tudo! Está pegando ou vou ter que começar tudo de novo?

– Ai meu deus. Você está falando sério. Eles são feitos de carne…

– Obrigado! Finalmente! Sim, eles de fato são feitos de carne. E eles têm tentado nos contatar por quase cem de seus anos.

– Ai meu deus. O que você tem em mente?

– Primeiro eles querem falar conosco. Aí acho que vão querer explorar o Universo, contatar outros seres inteligentes, trocar idéias e informações. O de sempre.

– Então vamos ter que conversar com carne…

– É a idéia. É a mensagem que eles estão mandando por rádio: “Olá, alguém aí? Alguém em casa?” Esse tipo de coisa.

– Então eles falam mesmo. Eles usam palavras, idéias, conceitos?

– Ah, sim… Só que eles fazem isso com a carne.

– Achei que você tinha dito que eles usavam rádio.

– Sim, mas o que você acha que está no rádio? Sons de carne! Sabe quando você bate na carne ou a chacoalha, e ela faz barulho? Eles falam chacoalhando pedaços de carne um contra o outro. Eles até cantam, espremendo ar pela carne.

– Ai meu deus. Carne que canta. Isso já é demais. O que você sugere?

– Oficialmente ou não oficialmente?

– Os dois.

– Oficialmente, devemos contatar e dar as boas-vindas a quaisquer raças inteligentes ou multiseres neste quadrante do Universo, sem preconceito, medo ou favorecimento. Não oficialmente, aconselho que apaguemos os registros e esqueçamos a coisa toda.

– Esperava que você dissesse isso.

– Parece drástico, mas tudo tem limite. Quem iria querer contatar carne?

– Concordo 100%. O que iríamos dizer? “Olá, carne, tudo bem?” Mas isso vai funcionar? De quantos planetas estamos falando?

– Só um. Eles podem viajar a outros planetas em contâineres de carne especiais, mas não podem viver neles. E, sendo carne, eles só podem viajar através do espaço C, o que os limita à velocidade da luz e deixa a possibilidade de contato bem pequena. Infinitesimal, na verdade.

– Então vamos simplesmente fingir que não tem ninguém em casa no Universo.

– Isso.

– É cruel, mas como você disse, quem quer encontrar carne [meet meat]? E aqueles que foram sondados, tem certeza que eles não vão lembrar de nada?

– Se lembrarem, vão ser considerados doidos. Nós entramos nas suas cabeças de carne a as amaciamos de forma que pareceremos apenas um sonho para eles.

– Um sonho de uma carne! Mas é estranhamente apropriado que sejamos sonho de carnes.

– E marcamos o setor como desocupado.

– Ótimo. Concordo, oficialmente e não oficialmente. Caso encerrado. Mais algum? Alguém interessante desse lado da galáxia?

– Sim, uma algo tímida mas gentil inteligência numa estrela de classe 9 na zona G445. Fez contato há duas rotações galáticas atrás, e quer fazer amizade de novo.

– Eles sempre voltam…

– E por que não? Imagine como o Universo seria insuportavelmente frio se estivéssemos sozinhos…

mais informações: http://www.cinted.ufrgs.br/renote/mar2004/artigos/05-computador_neural.pdf

Está disponível para  baixar a revista, a edição numero 05 da revista espirito livre, Revista_EspiritoLivre_005_capapublicação produzida de forma colaborativa por vários profissionais principalmente da área de informática.

A matéria de capa desta edição é o linux no desktop, para eu que já uso fiquei com boa impressão de projetos que não tinha conhecimento até então.

Baixe e faça uma boa leitura do conteúdo, e bem vindo a era da colaboração e como diria Chris Anderson “FREE”.

Clique aqui para baixar a revista.