Posts com Tag ‘Literatura’

Quanto mais gente resistir,
mais gente será Livre, e
mais gente será livre para ser Livre.

Para teu próprio bem e
em solidariedade a todos,
escolhe a liberdade.

Sê Livre!

FSF (Fundação Software Livre América Latina)
http://www.fsfla.org/svnwiki/selibre/

O texto acima me faz refletir sobre a comodidade e a prisão da convicção que a maioria das pessoas se encontram. Comodidade pois o medo da mudança as mantêm estagnadas, e na maioria das vezes convicções muitas vezes não fundamentadas ajudam a mantê-las   em seu estado de inércia.

Porém, muitos entendem que tudo nos afeta e tudo pode ser alterado com os nossos atos. Os abolicionistas, muitos brancos e em alguns casos, boa condição financeira, poderiam seguir seus antepassados e até mesmo a maioria absoluta dos seus contemporâneos, mas preferiram lutar pela liberdade.

Esta luta por liberdade, é importante que esteja sempre presente na mente de todos os indivíduos e que as pessoas percebam que a coletividade, mesmo que pequena pode fazer grandes transformações e nos manter livres no futuro. É importante frisar que quando digo coletividade não estou defendendo grupos isolados com convicções contrárias a liberdade de alguma forma.

Muitos devem ter percebido que a frase utilizada no início deste texto foi retirada do site da Fundação de Software Livre América Latina, que trabalham para assegurar liberdades na utilização dos softwares. Agora o que tem a ver o texto introdutório com o que escrevi até aqui? talvez você esteja se perguntando isso, então explico.

O uso do software proprietário nos tornou reféns dos programas de computador no sentido de que tal licença pode dizer o que você pode ou não fazer com um software que você pagou por ele. é certo que a maioria das pessoas não querem e nem irão desenvolver seu próprios devices drivers, ou alterar os programas que adquirem de alguma forma, mas ,  vetar esta possibilidade é algo que nem se quer deveria ser considerado, e esta é uma liberdade que nos foi tirada porém como a maioria das pessoas não sabem o que é um programa de computador não se acham prejudicadas.

Está bem até aqui, mas, e se alguém resolver fazer um programa personalizado para seu microondas com atualizações a cada 2 meses por um valor que você não gostaria de pagar? isso soa estranho? dê uma olhada aqui. agora e se você pensar o seguinte, seu neto ou bisneto sabe programar e pode arrumar para você seu microondas sua geladeira ou seu carro, porém ele não tem como pois você comprou o objeto, mas o programa que veio nele não é seu, então, ou você compra outro programa ou manda a empresa modificar.

Podem até achar que eu estou exagerado , mas é esta a verdade, ou lutamos para manter as liberdades mínimas hoje, ou no futuro que tivermos software em todo lugar na será realmente nosso.

Para finalizar, reapresento o poema de Bertold Brecht, que acredito ter muito em comum com o que eu estou pensando ao escrever este texto. Não deixem nossa liberdade ser retiradas por causa de comodismos.

Bertold Brecht

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro
Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operárioDepois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável 

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo

Depois de um vasto caminhar por esta terra, aprendemos que muito do que aprendemos, devemos a outras pessoas. No texto abaixo de William Shakespeare, temos muita coisa que sabemos, mas por motivos talvez alheios a nossa vontade, deixamos de lado, e sofremos com as consequências as vezes desagradáveis. Usar o outro para ajudar-nos, é uma dádiva, afinal estamos quase sempre querendo ajudar alguém.

Este texto nos faz lembrar de amizades intensas, e que mesmo distantes não se acabam, o impressionante é que muitas vezes parecem crescer ainda mais. Acho que a vida é muito curta para deixarmos as amizades de lado. Acho que o tempo não espera que nos organizemos, para podermos valorizar as amizades, e a vida.

“Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as consequências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto… plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!”

William Shakespeare

O escritor José Saramago, prêmio nobel de literatura e agora blogueiro, http://caderno.josesaramago.org , em entrevista ao globo, fez uma declaração que deixou muitos twitteiro e blogueiros irritados.

Na entrevista o escritor português chegou a fazer a seguinte declaração sobre microblogs , “Nem sequer é para mim uma tentação de neófito. Os tais 140 caracteres refletem algo que já conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até o grunhido”.

Pode-se entender a frase do escritor da seguinte forma, “de degrau em degrau vamos decaindo até acabarmos no grunhido.” . Para não precisardes procurar um dicionário, grunhido é aquele barulho que os porcos fazem, ou se preferir o ronco de porco.

De certa forma se considerarmos a forma ou modelo de evolução das línguas, a tendencia é falar mais com menos. Por exemplo, a palavra vossemecê quase ninguém conhece, pois foi substituída pela palavra você e há no brasil quem diga apenas “c”. Em outros idiomas como o inglês as contrações transformam textos em pequenas frases, por exemplo “hi is not” é o mesmo que hi’isnt.

Portanto de certa forma Saramago prevê algo que já acontece a muito tempo, a língua está em constante evolução e o ser humano tende a se comunicar de forma o mais eficiente possível. Mas quanto ao dizer que vamos acabar grunhindo talvez seja apenas força de expressão, sendo assim acabaria considerando algo válido, caso contrário é um equívoco da parte do escritor.

Thiago Santos de Amorim